domingo, 2 de outubro de 2011

Lição de democracia se pratica em casa, não é?

Reprodução de post do Tijolaço
A imagens veiculadas pelo The New York Times não mostram qualquer quebra-quebra, agressão ou algo que possa ser classificado de atos de violência que justificassem a prisão de mais de 700 manifestantes que se dirigiam a Wall Street, o cnetro financeiro do mundo, para reclamar da subseviência do sistema político americano – e mundial – ao capitalismo financeiro. Além do mais, num sábado à tarde, nem mesmo se pode dizer que isso provocaria um transtorno irremediável à vida da cidade.
Os Estados Unidos, sempre prontos a apoiar manifestações civis pacíficas e desarmadas em toda a parte do mundo onde haja um governo que lhe seja hostil, não praticam as lições que pregam?
Não é possível que mais de 700 pessoas tenha “se passado” na manifestação sem que haja registro de cenas de violência por parte dos manifestantes. E, até agora, não há. O próprio video distribuído pela polícia novaiorquina não mostra qualquer ato de vandalismo. O policial apenas lê um texto dizendo que, se atravessarem a ponte, serão acusados de “conduta desordeira”, o que é o alegado para a prisão.

Convenhamos que, assim, dá para enquadrar qualquer manifestação como desordem, não é?
_________________________________
_________________________________

Pitado d'O Caraíba

Se fosse aqui, estaria o Datena a bradar pela prisão de todos os "desocupados" que estão atrapalhando o trânsito. 

E seriam ouvidos por todos aqueles que votam - em SP - no mesmo modelo de governo que já há pelo menos duas décadas não faz senão assistir os números crescentes de trânsito.
Os mesmos, claro, que engrossaram fileiras para o Cansei, que agora ensaia voltar à ativa, como provam as reiteradas tentativas das organizações Globo de levar às ruas as pessoas "cansadinhas" da corrupção.

Comportamento paradoxal, não?!

Aplaude-se a revolta nos países islâmicos. . .

Entusiasma-se com a luta dos esudantes chilenos. . .

Mas os estudantes da USP que fazem greve são desocupados, vagabundos que deveriam dar suas vagas a quem quer estudar, não a quem só quer aparecer e, de quebra, ainda ajuda a piorar o trânsito para o "cansadinho" em seu carro.

O mesmo vale para os professores, que nessa semana tomaram pauladas no Ceará, e que as tomam repetidas vezes aqui pelo Sudeste. Principalmente em SP e em MG.

Eu admiro a organização do povo estado-unidense nessa manifestação, apesar de não ter grandes razões para admirá-los at all

E é fácil entender porque ela foi tão prontamente sufocada. 

Afinal, Nova Iorque (leia-se, Wall Street) não é a cidade que mais se beneficiará com a participação popular. . .

Nenhum comentário:

Postar um comentário