quarta-feira, 31 de agosto de 2011

O caso do Sr. RCabeção

Esta reflexão pouco rigorosa vem ocupando meus diletantes miolos há alguns dias. 

Primeiramente, ela viria numa nota a outro post, mas como ficou um tanto extensa, resolvi dedicar-lhe um post. 

A título de contextualização, peço que leiam o post

Nunca fui a um analista. Os efeitos disso são óbvios, pra quem me conhece. 

Mas mesmo sem diagnóstico de especialista, este diletante blogueiro, que é diletante em tudo, até em autoanálise, não nega ter traços masoquistas. 

Esses traços são evidentes por um hábito que cumpro rigorosamente: ler o blog do Reinaldinho Cabeção, hospedado na referida revista deste post. Quem também o lê, sabe do que estou falando.

E ao tomar conhecimento do que se passou a respeito dos métodos murdochianos da Veja, fui correndo ler o que diria o blogueiro - o qual é evidente que carece muito mais do que eu de terapia!

Já disse outras vezes que, com ele, coerência é lucro.

Honestidade intelectual??? Não fazem parte dos princípios - nem dos meios ou dos fins.

E ele ainda tem a pachorra de distorcer tanto os fatos ao ponto de se colocar como defensor da democracia. 

Caso Veja/Dirceu revelará em que país você vive



Estou em Curitiba a trabalho, envolto em reuniões durante o dia e em intermináveis jantares de negócios à noite, de maneira que serei curto e grosso ao dizer um fato que peço que anote em sua agenda mental, leitor, caso queira saber em que país tem vivido.

A melhor coisa que poderia ter acontecido ao Brasil foi a Veja ousar tanto quanto ousou em seus delírios de poder. Pouco mais há o que dizer em relação a esse caso, apesar de a “grande” imprensa ter sonegado seus prestimosos serviços à Nação.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Giannoti (Sith): “O que pretendem fazer com essa gente?”

A pergunta do Lord Giannotti Sith

Edmilson Lopes Júnior, no Terra Magazine, via Vi o Mundo e acrescido de pitacos meus.

Eis o cativante e sincero sorriso de um verdadeiro Social-Democrata!

De Natal (RN)

Na última semana, um encontro promovido pelo Instituto Fernando Henrique reuniu antigos dirigentes da área econômica e intelectuais tucanos para diagnosticar os principais problemas econômicos do país e, se possível, apontar propostas substantivas para uma alternativa ao que vem sendo feito desde que o Lula tomou posse em 2003. O título do evento não poderia ser mais pomposo: “Transição incompleta e dilemas da (macro) economia brasileira”.

Os “pais do Real”, hoje aboletados nas direções de bancos e fundos de gestão, não trouxeram a esperada luz que iluminaria o escuro caminho da oposição. Com a notável exceção de Pérsio Arida, que apontou a necessidade de uma revisão das regras de gestão e de aplicação dos recursos dos fundos dos trabalhadores (FGTS e FAT), os demais pisaram sobre terreno por demais batido. Queriam mais do mesmo: redução dos gastos públicos. Houve até quem propusesse que abandonássemos a perseguição do modelo de estado de bem-estar (welfare state) europeu.

domingo, 21 de agosto de 2011

Terrorismo de estado dos EUA ameaça humanidade - Portal Vermelho



Miguel Urbano, em odiario.info, via Vermelho



O homem realizou nos últimos dois séculos conquistas prodigiosas. Se fossem colocadas a serviço da humanidade, permitiriam erradicar da Terra a fome, o analfabetismo, as guerras, abrindo portas a uma era de paz e prosperidade.

Mas não é o que acontece. Uma minoria insignificante controla e consome os recursos naturais existentes e a esmagadora maioria vive na pobreza ou na miséria.

O fim da bipolar idade, após a desagregação da URSS, permitiu aos Estados Unidos adquirir uma superioridade militar, política e econômica enorme que passou a usar como instrumento de um projeto de dominação universal. As principais potências da União Europeia, nomeadamente o Reino Unido, a Alemanha e a França, tornaram-se cúmplices dessa perigosa política.

O sistema de poder que tem o seu pólo em Washington, incapaz de encontrar solução para a crise do seu modelo, inseparável da desigualdade social, da sobrexploração do trabalho e do esgotamento gradual dos mecanismos de acumulação, concebeu e aplica uma estratégia imperial de agressão a povos do chamado Terceiro Mundo.

Em guerras ditas de baixa intensidade, promovidas pelos EUA e seus aliados, morreram nos últimos sessenta anos mais de trinta milhões de pessoas. Algumas particularmente brutais, definidas como "preventivas" visaram o saque dos recursos naturais dos povos agredidos.

Pesquisa confirma: MST é demonizado pela mídia - Portal Vermelho


Do Portal Vermelho


Uso de termos negativos, pouca relevância dada às bandeiras da entidade e exclusão do MST como fonte. O que já era percebido pelos movimentos sociais agora foi comprovado em pesquisa que analisou cerca de 300 matérias sobre o MST em TV, jornal impresso e revistas. O resultado desse trabalho será lançado na próxima quarta-feira (24), às 19h, na Tenda Cultural do Acampamento Nacional da Via Campesina (Estacionamento do Ginásio Nilson Nelson), em Brasília.
O relatório, intitulado “Vozes Silenciadas”, analisou as matérias que citaram o MST em três jornais de circulação nacional (Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e O Globo); três revistas também de circulação nacional (Veja, Época e Carta Capital); e os dois telejornais de maior audiência no Brasil: Jornal Nacional, da Rede Globo, e Jornal da Record. O período pesquisado foi de 10 de fevereiro a 17 de julho, duração das investigações de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) sobre o MST.

O lançamento contará com a presença de Mônica Morão, professora da UFC e responsável pela pesquisa, de Leandro Fortes, jornalista da revista Carta Capital, e da Coordenação do MST. O relatório foi realizado pelo Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social com o apoio da Fundação Friedrich Ebert e da Federação do Trabalhadores em Radiodifusão e Televisão (FITERT).

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Wagner Freitas se lança candidato e tem Maluf como cabo eleitoral

Estava hoje este diletante e preguiçoso Caraíba a folhear o Diário de Guarulhos, este que, como costumo dizer, tem menos conteúdo do que a página inicial do Google - leia aqui a respeito -, quando me deparo com uma manchete inesperada: "Quero fazer grandes obras, diz Freitas", ela dizia. 

E eu, com minha curiosidade que só não ganha da minha preguiça (por pouco, diga-se), meti-me a ler. 

Trata-se de um documento para a posteridade.

O leitor típico que os jornais de guarulhos pressupõem.
Um exemplo do mais puro jornalismo provinciano guarulhense.

Ou a coitada que assinou a matéria é a estagiária que, num acesso de piriri de seu chefe, foi de última hora incumbida de entrevistar o vereador, ou temos mesmo um flagrante caso de incapacidade crítica.

Para quem não conhece a figura que protagoniza a entrevista, trata-se de um parlamentar cuja maior contribuição para a cidade é o silêncio e a segunda, e última, um figurino inconfundível. 

Já publiquei aqui um email que enviei ao senhor em questão e que foi, como se espera de uma pessoa com tal visão apurada de mundo, sumariamente ignorado. Leiam aqui o email enviado.

O silêncio dele diz muito. . .

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

José Serra abre consultoria

Charge do Bessinha no Conversa Afiada
Essa eu tinha que colocar aqui!











Vejam também aqui, no Tijolaço: Serra Eventos & Factóides LTDA.



Deu na Folha:
Sem cargo eletivo, o ex-governador José Serra, derrotado nas eleições presidenciais de 2010, abriu uma consultoria em abril, a Apecs Consultoria e Assessoria em Gestão Empresarial. Segundo o registro na Junta Comercial, a Apecs faz consultoria em gestão empresarial (exceto consultoria técnica específica); edição de livros; serviços de organização de feiras, congressos, exposições e festas; além de atividades de apoio à educação.
>Serra tem um sócio “minoritário”: o ex-presidente da Sabesp – aquela que anunciava no Acre como era boa a água da bica em São Paulo – Gesner Oliveira, que tem 1% do capital.
Não se sabe que tipo de consultoria Serra prestará a empresas – que, como se sabe, não gostam de viver de “roda-presa” – ou a eventos. A presença de Serra? Espanta o público. Ou será que ele criará factóides, como o daquele “objeto voador não identificado” que quase vai para o Guiness como o primeiro caso de coma provocado por bolinha de papel da história?
Bem, como a própria matéria registra, Serra não tem sido muito bem sucedido – ao contrário de Lula – na atividade de palestrante pago. Fez três palestras, e pelo menos duas delas , para empresários.
É que essa turma não gosta de jogar dinheiro fora.
Serra talvez se saísse melhor como vendedor. Afinal, já vendeu a Vale e quase vendeu a Petrobras. Isso é currículo, não é?

_______________________________
_______________________________


Pitaco d'O Caraíba:

Eu conheço uma série de pessoas "cults" ou afeitas ao modismo por eles mesmos mal compreendido do empreendedorismo que usam o Serra (e seu Sancho Pança, o Reinaldinho Cabeção) como arauto da intelectualidade. Nesse rol incluem, eventualmente, Arnaldo Jabor, Sardemberg, Mirian Leitão, Renato Machado, "o Enólogo", e, na versão mais jovem, "yuppie", o CQC (é, pra mim eles não têm nome próprio. O único que tinha, deveria estar ainda no papel de Prof. Tibúrcio, única real contribuição dele para o mundo).

Vejam - no meio destes aficcionados pelo Twitter, por exemplo, aqueles que seguem o @joseserra_ . Vejam que fazem isso para darem a si mesmos um verniz de cults e politizados ao mesmo tempo.

Lamentável. . .